OFERTA FORMATIVA

Ref. 137T1 Inscrições abertas até 23-04-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: CFAEDT-ACD 2024/01

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 24-04-2024

Fim: 25-04-2024

Regime: Presencial

Local: Vila Nova de Foz Côa

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Agrupamento de Escolas Tenente-Coronel Adão Carrapatoso – V.N. de Foz Côa

Objetivos

 Comemorar os 40 anos de existência do Festival de Poesia e Música de V.N. Foz Côa;  Cultivar o gosto pela leitura de poesia;  Conhecer poetas “Vozes da Liberdade”, no âmbito da comemoração dos 50 anos da Revolução de 25 de abril de 1974.

Anexo(s)

Programa Temático



INSCREVER-ME

Ref. 124T2 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-117639/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 18-04-2024

Fim: 27-06-2024

Regime: b-learning

Local: AE Moimenta da Beira

Formador

Carla Sandra Coelho Azevedo

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Douro e Távora

Enquadramento

A avaliação pedagógica tem assumido uma centralidade inegável nas políticas educativas e curriculares, com efeitos concretos nas práticas de ensino e aprendizagem, designadamente na promoção do “sucesso escolar”. A publicação do Decreto-Lei nº 55/2018, de 6 de julho, consagra mudanças significativas ao nível do currículo, assumindo um dos seus princípios orientadores: a “afirmação da avaliação das aprendizagens como parte integrante da gestão do currículo enquanto instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens”. Refere ainda o caráter formativo da avaliação pedagógica como um dos pilares da melhoria da qualidade do ensino e da aprendizagem. Importa, pois, que os professores consolidem estas mudanças de modo contextualizado e que aprofundem competências e conhecimentos inerentes ao processo de avaliação das aprendizagens, nomeadamente, através de desenvolvimento de projetos pedagógicos e didáticos em torno de práticas de avaliação formativa, feedback e participação, critérios de avaliação e processos de recolha de informação. Deste modo, visa-se capacitar e apoiar os docentes para a construção dos recursos inovadores necessários e ajustados aos seus contextos educativos específicos, promovendo-se ainda a implementação e análise dos mesmos, tendo em vista o seu aperfeiçoamento ou reformulação.

Objetivos

• Contribuir para o desenvolvimento de competências e conhecimentos no domínio da avaliação, em geral, e da avaliação pedagógica, em particular, congruentes com o real conteúdo das orientações constantes nos documentos legais; • Promover práticas de trabalho colaborativo e cooperativo na construção e desenvolvimento de projetos de avaliação pedagógica em contexto de sala de aula; • Elaborar recursos educativos de suporte ao desenvolvimento dos projetos de avaliação pedagógica; • Permitir a troca de materiais e experiências, o esclarecimento de dúvidas e a geração de ideias e projetos de natureza pedagógica e didática; • Incrementar práticas de formação de natureza investigativa que confiram competências aos professores para lidar com a mudança e a inovação no âmbito da avaliação pedagógica.

Conteúdos

1. Enquadramento curricular: documentos de referência – 3 horas; 2. Natureza e Fundamentos da Avaliação - 3 horas; 3. Avaliação formativa e avaliação sumativa - 3 horas; 4. Feedback: natureza, distribuição e utilização por alunos e professores-alunos - 3 horas; 5. Aprendizagens Essenciais, Critérios de avaliação, Descritores de Níveis de Desempenho e de Standards. - 3 horas; 6. Processos de recolha de informação - 3 horas; 7. Apresentação, discussão e avaliação dos projetos de intervenção desenvolvidos no âmbito da oficina - 7 horas.

Avaliação

De acordo com o RJFCP – Decreto-Lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro - e nos termos dos nºs 5 e 6, do artigo 4.º do Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio, valorizando-se uma lógica formativa e de acompanhamento. Assim, a avaliação dos formandos terá incidência: (1) Na participação e no trabalho contínuo realizado ao longo das sessões presenciais; (2) Na componente de trabalho individual, tendo em conta a qualidade dos projetos e materiais produzidos e apresentados em plenário.

Bibliografia

Fernandes, D. (2021). Para uma fundamentação e melhoria das práticas de avaliação pedagógica no âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Fernandes, D. (2021). Para a Conceção e Elaboração do Projeto de Intervenção no Âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Fernandes, D. (2021). Para um enquadramento da formação de professores. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Machado, E. A. (2021). Feedback. Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Wenger, E. (1998). Communities of practice: Learning, meaning, and identity. Cambridge University Press.

Anexo(s)

AN


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-04-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Presencial
2 02-05-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 16-05-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 23-05-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
5 06-06-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
6 13-06-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
7 20-06-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
8 27-06-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial

Ref. 124T3 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-117639/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 17-04-2024

Fim: 25-06-2024

Regime: b-learning

Local: Penedono

Formador

Carla Sandra Coelho Azevedo

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Douro e Távora

Enquadramento

A avaliação pedagógica tem assumido uma centralidade inegável nas políticas educativas e curriculares, com efeitos concretos nas práticas de ensino e aprendizagem, designadamente na promoção do “sucesso escolar”. A publicação do Decreto-Lei nº 55/2018, de 6 de julho, consagra mudanças significativas ao nível do currículo, assumindo um dos seus princípios orientadores: a “afirmação da avaliação das aprendizagens como parte integrante da gestão do currículo enquanto instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens”. Refere ainda o caráter formativo da avaliação pedagógica como um dos pilares da melhoria da qualidade do ensino e da aprendizagem. Importa, pois, que os professores consolidem estas mudanças de modo contextualizado e que aprofundem competências e conhecimentos inerentes ao processo de avaliação das aprendizagens, nomeadamente, através de desenvolvimento de projetos pedagógicos e didáticos em torno de práticas de avaliação formativa, feedback e participação, critérios de avaliação e processos de recolha de informação. Deste modo, visa-se capacitar e apoiar os docentes para a construção dos recursos inovadores necessários e ajustados aos seus contextos educativos específicos, promovendo-se ainda a implementação e análise dos mesmos, tendo em vista o seu aperfeiçoamento ou reformulação.

Objetivos

• Contribuir para o desenvolvimento de competências e conhecimentos no domínio da avaliação, em geral, e da avaliação pedagógica, em particular, congruentes com o real conteúdo das orientações constantes nos documentos legais; • Promover práticas de trabalho colaborativo e cooperativo na construção e desenvolvimento de projetos de avaliação pedagógica em contexto de sala de aula; • Elaborar recursos educativos de suporte ao desenvolvimento dos projetos de avaliação pedagógica; • Permitir a troca de materiais e experiências, o esclarecimento de dúvidas e a geração de ideias e projetos de natureza pedagógica e didática; • Incrementar práticas de formação de natureza investigativa que confiram competências aos professores para lidar com a mudança e a inovação no âmbito da avaliação pedagógica.

Conteúdos

1. Enquadramento curricular: documentos de referência – 3 horas; 2. Natureza e Fundamentos da Avaliação - 3 horas; 3. Avaliação formativa e avaliação sumativa - 3 horas; 4. Feedback: natureza, distribuição e utilização por alunos e professores-alunos - 3 horas; 5. Aprendizagens Essenciais, Critérios de avaliação, Descritores de Níveis de Desempenho e de Standards. - 3 horas; 6. Processos de recolha de informação - 3 horas; 7. Apresentação, discussão e avaliação dos projetos de intervenção desenvolvidos no âmbito da oficina - 7 horas.

Avaliação

De acordo com o RJFCP – Decreto-Lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro - e nos termos dos nºs 5 e 6, do artigo 4.º do Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio, valorizando-se uma lógica formativa e de acompanhamento. Assim, a avaliação dos formandos terá incidência: (1) Na participação e no trabalho contínuo realizado ao longo das sessões presenciais; (2) Na componente de trabalho individual, tendo em conta a qualidade dos projetos e materiais produzidos e apresentados em plenário.

Bibliografia

Fernandes, D. (2021). Para uma fundamentação e melhoria das práticas de avaliação pedagógica no âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Fernandes, D. (2021). Para a Conceção e Elaboração do Projeto de Intervenção no Âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Fernandes, D. (2021). Para um enquadramento da formação de professores. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Machado, E. A. (2021). Feedback. Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Wenger, E. (1998). Communities of practice: Learning, meaning, and identity. Cambridge University Press.

Anexo(s)

AN


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 17-04-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Presencial
2 30-04-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 07-05-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 14-05-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
5 21-05-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
6 28-05-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
7 11-06-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
8 25-06-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial

Ref. 134T1 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-122892/24

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 30.0 horas (15.0 horas presenciais + 15.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 28-02-2024

Fim: 20-03-2024

Regime: Presencial

Local: AE Tenente Coronel Adão Carrapatoso-V. N. de Foz Côa

Formador

Agostinha Barroco Dionisio

Destinatários

Educadoras/es de Infância (Grupo 100)

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadoras/es de Infância (Grupo 100).

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

1- Esta formação está organizada de forma a dar respostas integradas de acordo com as Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar: Formação Pessoal e Social, Expressão/Comunicação e Conhecimento do Mundo. 2-A investigação refere que a vida emocional da criança é o trampolim de integração no mundo, visto que a sua evolução emocional é muito mais precoce do que a sua maturação mental, a educação das emoções deverá integrar os currículos destinados a estes destinatários. 3-A criança, na Educ. Pré-Escolar, é o sujeito da aprendizagem, tendo em conta o seu saber, as suas vivências, a sua cultura, de modo que a ação do educador seja complementar à ação educativa das famílias, através do estabelecimento de uma relação estreita com os pais/encarregados da educação, numa abordagem sistémica e ecológica. 4-Os educadores deverão criar um ambiente propício ao desenvolvimento de competências sociais e emocionais como uma forma de prevenção para uma conduta antissocial, tentando minimizar a vulnerabilidade às disfunções. Estas competências, incluem a autoconsciência, o controlo dos impulsos, a empatia, a escolha de perspetiva, a cooperação, a resolução de conflitos, tornando-se ferramentas-chave quando a criança, mais tarde, for confrontada com situações geradoras de comportamentos de risco. 5-O uso de histórias em contexto escolar é um dos instrumentos pedagógicos privilegiados para promover o desenvolvimento socio cognitivo das crianças, favorecendo a linguagem mental e a compreensão da criança, sobre si e o mundo que a rodeia. Haverá um envolvimento das Bibliotecas Escolares, dado que é fundamental a articulação curricular, a transversalidade dos saberes e os cenários de aprendizagem integrados e inclusivos.

Objetivos

•. Desenvolver competências socio emocionais nas crianças; • Promover práticas educacionais positivas; • Envolver a comunidade educativa na promoção da literacia em saúde mental e emocional, numa perspetiva global, que potencie o desenvolvimento harmonioso do indivíduo. Reforçar fatores protetores: Pessoais – desenvolver a identidade, autonomia, autoestima/autoconceito, afetos, emoções, sentimentos, relações interpessoais, comunicação; Ambiente escolar - promover a participação, a cooperação, a solidariedade, a aprendizagem, a responsabilidade e a assertividade; Sociais/comunitários – criar condições para um maior envolvimento da comunidade e dos parceiros.

Conteúdos

Contextualização – Objetivos 3:00h Enquadramento Teórico: 4:00h - Comunicação - Emoções Básicas Exploração das histórias: 8:00h - “Uma dor de barriga” - “Adeus patitas” - “Um incêndio nas orelhas” - “O Marronco” - “Batucar”

Avaliação

Os/As formandos/as serão avaliados na escala de 1 a 10, de acordo com o despacho no 4595/2015, do Secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar. A avaliação dos/as formandos/as depende da frequência mínima de 2/3 das horas de formação presencial. Critérios de avaliação: - Empenho e participação nas sessões (25%) - Trabalhos produzidos e participação nas sessões (25%) - Reflexão crítica individual sobre a formação vivenciada e as aprendizagens obtidas/consolidadas em cada módulo da formação (50%)

Bibliografia

Almeida, Leandro S., et al (1995). Provas psicológicas em Portugal. APPORT, Braga Bitti, Pio Ricci (1993). A Comunicação como processo social. Editorial EstampaCosta, Marta Lacerda (2015). A importância das histórias infantis na educação pré-escolar e no desenvolvimento emocional e social em crianças. Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica, Instituto Superior Miguel Torga, Coimbra.Gaspar, Maria Filomena (in press/2011). Educação parental e prevenção do risco na infância: resposta milagre ou desafio incitador? In A. Almeida et al (Eds) Intervenção com crianças, jovens e famílias: Estudos e práticas. Almedina, CoimbraMinistério da Educação. (1997). Lei Quadro da Educação Pré-Escolar. Lei nº 5/97. Lisboa: Diário da República 34/97 - SÉRIE I-A.Ministério da Educação. (1997). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Plano Nacional de Saúde Escolar (PNSE)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-02-2024 (Quarta-feira) 16:00 - 19:30 3:30 Presencial
2 06-03-2024 (Quarta-feira) 16:00 - 19:30 3:30 Presencial
3 08-05-2024 (Quarta-feira) 16:00 - 20:00 4:00 Presencial
4 05-06-2024 (Quarta-feira) 16:00 - 20:00 4:00 Presencial

Ref. 135T1 Em avaliação

Registo de acreditação: CFAEDT-ACD 2023/05

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 28-02-2024

Fim: 29-02-2024

Regime: e-learning

Local: Online

Destinatários

Docentes que desempenham funções na Biblioteca Escolar

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Docentes que desempenham funções na Biblioteca Escolar. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

AE de São João da Pesqueira

Enquadramento

A Biblioteca Escolar disponibiliza recursos materiais e humanos para apoiar o desenvolvimento do currículo, complementando e enriquecendo as aprendizagens. A sua ação educativa desenvolve-se em articulação com os conselhos de Docentes, Departamentos Curriculares, Clubes e Projetos do Agrupamento, estendendo-se à Comunidade Escolar e Educativa através de atividades e projetos desenvolvidos em colaboração. A Equipa da Biblioteca Escolar, conforme previsto no n° 4 do Capítulo I da Portaria 192-N2015, de 29 de junho, coadjuva o professor bibliotecário, sendo fundamental na articulação com os Departamentos Curriculares e Conselhos de Docentes. O conhecimento dos documentos orientadores, dos serviços e dos recursos que a Biblioteca disponibiliza torna-se essencial ao seu bom funcionamento e ao desenvolvimento de um trabalho que vá ao encontro do cumprimento dos seus objetivos e dê resposta às necessidades da comunidade escolar e educativa em que se insere.

Objetivos

- Formar os docentes que integram a Equipa da Biblioteca. - Informar os docentes dos serviços prestados pela Biblioteca. - Dar a conhecer os documentos orientadores e os domínios e trabalho e prioridades da Biblioteca Escolar. - Criar estratégias para a utilização dos recursos físicos, digitais e em linha, disponibilizados pela Biblioteca, no desenvolvimento de atividades de apoio ao currículo. - Promover o trabalho colaborativo com os docentes integrando a formação nas literacias da informação da leitura e dos media no desenvolvimento do currículo em colaboração com a Biblioteca Escolar.

Conteúdos

1. Os recursos da Biblioteca Escolar: tratamento documental, organização e arrumação nas estantes; consulta do catálogo; presença em linha; recursos físicos e digitais. 2. Os serviços da Biblioteca Escolar: horário de funcionamento, empréstimos, funcionalidades e utilização dos espaços; 3. Documentos orientadores: Regulamento; Regimento; Política de Desenvolvimento da coleção; Manual de utilizador; Quadro Estratégico da Rede de Bibliotecas Escolares; Modelo de Avaliação das Bibliotecas Escolares; Referencial Aprender com a Biblioteca Escolar; Manual de Formação nas Literacias. 4. O Plano Anual de Atividades da Biblioteca Escolar; a formação nas literacias (da leitura, da informação e dos média) e a dinamização de atividades de apoio ao currículo e de enriquecimento curricular.



Ref. 136T1 Em avaliação

Registo de acreditação: CFAEDT-ACD 2023/06

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 28-02-2024

Fim: 29-02-2024

Regime: b-learning

Local: AE S. J. da Pesqueira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

AE de São João da Pesqueira

Enquadramento

A Biblioteca Escolar disponibiliza recursos materiais e humanos para Enquadramento apoiar o desenvolvimento do currículo, complementando e enriquecendo as aprendizagens. A sua ação educativa desenvolve-se em articulação com os Conselhos de Docentes, Departamentos Curriculares, Clubes e Projetos do Agrupamento estendendo-se à comunidade Escolar e Educativa através de atividades e projetos desenvolvidos em colaboração. O Manual de Formação nas Literacias, baseado no Referencial Aprender com a Biblioteca Escolar, surgiu da necessidade de desenvolver conhecimentos e capacidades transversais fundamentais ao sucesso escolar e à construção do Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e também de promover a integração das literacias na abordagem do currículo com a colaboração da Biblioteca Escolar. A aplicação do Manual materializa-se no desenvolvimento de atividades curriculares em articulação com a Biblioteca Escolar, nas quais estão implicados e integrados conhecimentos e competências relacionados com as literacias da leitura, da informação e dos média. A presente formação pretende orientar a aplicação do Manual de Formação nas Literacias, apoiando a planificação, a execução e a avaliação das ações a desenvolver/desenvolvidas em colaboração com a Biblioteca Escolar.

Objetivos

- Informar os docentes dos serviços prestados pela Biblioteca e dos recursos que a mesma disponibiliza aos utilizadores. - Dar a conhecer os documentos orientadores, os domínios e trabalho e as prioridades da Biblioteca Escolar. - Orientar a aplicação do Manual de Formação nas Literacias. - Promover o trabalho colaborativo com os docentes integrando a formação nas literacias da informação da leitura e dos media no desenvolvimento do currículo em articulação com a Biblioteca Escolar.

Conteúdos

1. Serviços da Biblioteca Escolar: horário; empréstimos, funcionalidades e utilização dos espaços e dos recursos. 2. Documentos orientadores: Regulamento; Regimento; Politica de Desenvolvimento da coleção; Manual de utilizador; Quadro Estratégico da Rede de Bibliotecas Escolares; Modelo de Avaliação da Biblioteca Escolar; Referencial Aprender com a Biblioteca Escolar; Manual de Formação nas Literacias. 3. Recursos físicos e digitais: acesso ao catálogo e pesquisa de documentos; presença em linha; conteúdos digitais. 4. Trabalho colaborativo: formação nas literacias da leitura, dos média e da informação em articulação com o desenvolvimento do currículo.



Ref. 133T1 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-122055/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 12.0 horas

Início: 23-01-2024

Fim: 19-03-2024

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Isabel Maria Teixeira Peixoto Ramos

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Em 2021, a Rede de Bibliotecas Escolares apresentou publicamente o quadro estratégico para o período entre 2021 e 2027, numa sessão pública online em que divulgou igualmente o seu portal reformulado, com novas valências e recursos e ajustado a esta nova estratégia. Desde então, o mesmo tem continuado a ser aperfeiçoado, tem agregado recursos que se encontravam dispersos por outras plataformas, constituindo-se presentemente como um auxiliar bastante relevante para todos os que desempenham as funções de professor bibliotecário, disponibilizando orientações e recursos de apoio. Assim, torna-se fundamental para os que exercem essas funções conhecerem bem esta ferramenta, de modo a poderem rentabilizar todo o seu potencial nas suas práticas diárias nas bibliotecas escolares.

Objetivos

• Conhecer a estratégia da Rede de Bibliotecas Escolares e o seu portal; • Compreender a arquitetura do portal, localizando agilmente os conteúdos disponibilizados; • Conhecer os princípios e organização das secções específicas do portal RBE; • Usar o portal RBE para fundamentar e apoiar a ação da biblioteca escolar.

Conteúdos

Sessão 1 – O Portal da RBE – arquitetura, Pesquisa e Secções - 3 horas online síncronas - O portal RBE – Arquitetura - O Portal RBE – Pesquisa global - O Portal RBE – Secções: - Projetos - Iniciativas - Suporte > Recursos: “Artes e património com a biblioteca escolar”: Enquadramento/ Bibliografia sugerida/ Propostas de trabalho. Colaboração. - Elaboração de recurso educativo sobre artes e património, fundamentado nos recursos disponibilizados. Sessão 2 – O Portal da RBE: Secções I - 3 horas online síncronas - O Portal RBE – Secções: - Suporte > Recursos: “Aprender com a biblioteca escolar: atividades e recursos”: Crescer com a leitura/ Dominar a informação/ Saber usar os media. Organização. Termos e modos de pesquisa. Colaboração. - Seleção de uma proposta de atividade disponíveis no portal RBE em cada uma das áreas (leitura, media e informação), tendo em conta a sua adequação ao PAA da biblioteca e da escola/ agrupamento. Sessão 3 – O Portal RBE: Secções II - 3 horas online síncronas - O Portal RBE – Secções: - Suporte > Recursos: “Cidadania e Biblioteca Escolar: Pensar e intervir”: Dinâmicas educativas/ Notas das escolas/ Recursos/ Racismo/ Discriminação. Organização. Termos e modos de pesquisa. Colaboração. - Elaboração de uma proposta de atividade na área da cidadania, com base nos recursos disponibilizados em “Cidadania e Biblioteca Escolar: Pensar e intervir”. Sessão 4 – O Portal RBE: Secções III - 3 horas online síncronas - O Portal RBE – Secções: - Suporte > Recursos: Secção “Biblioteca Escolar Digital”: Serviços/ Curadoria de conteúdos/ Instrumentos/ Tutoriais informação e Media/ Práticas/ Organização. Termos e modos de pesquisa. - Seleção de recursos disponibilizados na “Biblioteca Escolar Digital“ que possam ser utilizados ou servir de suporte a uma atividade do PAA da biblioteca ou à proposta de atividade elaborada para a sessão anterior. - Avaliação - apresentação de um dos trabalhos realizados ao longo das sessões de formação, à escolha do formando.

Metodologias

O Curso tem 12h online síncronas. Em cada sessão haverá momentos com um caráter sobretudo expositivo, complementados com vários momentos de interação, tendo como base a pesquisa e exploração, individual ou em grupo, do portal RBE. Promover-se-á ainda a reflexão crítica e a discussão.

Avaliação

- Avaliação contínua. Participação dos formandos ao longo das sessões. - Avaliação dos trabalhos produzidos pelos formandos individualmente e em grupo. - Relatórios críticos individuais dos formandos. A avaliação expressa-se de acordo com a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado na Carta Circular CCPFC-3/2007, de 26 de setembro, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua de professores, e pelos critérios da DGE.

Bibliografia

Portugal. Rede de Bibliotecas Escolares (2021). Bibliotecas Escolares: presentes para o futuro. Programa Rede de Bibliotecas Escolares: Quadro estratégico: 2021-2027. https://rbe.mec.pt/np4/file/890/qe__21.27.pdfPortugal. Rede de Bibliotecas Escolares (2017) Aprender com a biblioteca escolar. Referencial de aprendizagens associadas ao trabalho das bibliotecas escolares na educação pré-escolar e nos ensinos básico e secundário. https://www.rbe.mec.pt/np4/%7B$clientServletPath%7D/?newsId=99&fileName=referencial_2017_impres.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 23-01-2024 (Terça-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Online síncrona
2 27-02-2024 (Terça-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Online síncrona
3 12-03-2024 (Terça-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Online síncrona
4 19-03-2024 (Terça-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Online síncrona

Ref. 132C9T1 Concluída

Registo de acreditação: CFAEDT-ACD 2023/04

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 18-11-2023

Fim: 18-11-2023

Regime: Presencial

Local: Sernancelhe

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Agrupamento de Escolas Padre João Rodrigues - Sernancelhe



Ref. 131C8T1 Concluída

Registo de acreditação: CFAEDT-ACD 2023/03

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 17-11-2023

Fim: 17-11-2023

Regime: Presencial

Local: Sernancelhe

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Agrupamento de Escolas Padre João Rodrigues - Sernancelhe



Ref. 128C4T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115626/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 07-10-2023

Fim: 04-11-2023

Regime: Presencial

Local: Moimenta da Beira

Formador

Maria de Lurdes Ribeiro Dias Martins

Sónia Margarida Pinheiro de Barros Pereira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial, do grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial, do grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Inclusão, equidade, cooperação, solidariedade, responsabilidade e interligação, são conceitos-chave que enformam as políticas e as práticas educativas. Assegurar o direito de todos à educação é garantir acesso, presença, participação e sucesso em processos educativos de qualidade. Os atores educativos, nomeadamente lideranças de topo e intermédias, são figuras essenciais na educação e na transformação social. Acolher e apoiar todos os alunos, independentemente das suas capacidades e exigências, são dois compromissos éticos e profissionais indiscutíveis. Uma escola inclusiva exige uma liderança eficaz, capaz de apoiar e promover o envolvimento de toda a comunidade escolar. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

Identificar práticas de gestão e organização pedagógica, de topo e intermédias, à luz dos normativos/documentos de referência sobre políticas de inclusão Explorar fatores que se constituem como obstáculo à inclusão na escola e sociedade Consolidar uma perspetiva de abordagem integrada de práticas que concorrem para a inclusão Refletir sobre a relevância das aprendizagens informais, os meios de as incorporar na promoção de ambientes educativos favoráveis à participação de alunos na condução do processo educativo Promover estratégias de otimização da participação dos alunos na vida da escola Elencar mecanismos de promoção do envolvimento das famílias na criação de ambientes inclusivos Refletir sobre o papel das lideranças na criação de ambientes promotores de aprendizagens não-formais e informais consistentes com os objetivos da educação inclusiva Equacionar os termos da cooperação interinstitucional em ordem à inclusão Refletir sobre instrumentos de monitorização das práticas de inclusão

Conteúdos

1. Enquadramento teórico e normativo 1.1. Quadro conceptual Os direitos humanos e as políticas de inclusão. Justiça distributiva e éticas do cuidado. Tradução dos princípios de justiça em direitos e capacidades. O projeto Strength Through Diversity e a diversidade dos públicos na educação escolar: dimensões da diversidade; abordagens multinível da diversidade em educação. 1.2. Quadro normativo de referência Os Decretos-Leis nº 54/2018 de 6 de julho (na sua redação atual) e n.º 55/2018, de 6 de julho (e respetivas Portarias). O Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Autonomia e responsabilidade dos decisores locais: interpretação dos normativos; as margens de autonomia potenciada pela portaria n.º 181/2019, de 11 de junho, na sua redação atual. Documentos curriculares e instrumentos de autonomia dos AE/ENA. 1.3. Dimensões organizacionais das políticas de inclusão – exercício exploratório [trabalho com os formandos, orientado pela abordagem prévia dos pontos 1.1. e 1.2.] 2. Concretização das políticas de inclusão 2.1 As escolas e as práticas A inclusão em contexto: modelos educativos e conceções de cidadania e equidade. 2.2. Os agentes sociais das práticas de inclusão Pessoas, instituições, ambientes de aprendizagem. Cooperação interinstitucional em ordem à inclusão. 2.3. Os recursos para a inclusão A identificação e gestão dos recursos (humanos, materiais, institucionais) e a sua potencialização na promoção da escola inclusiva. 2.4. Contextos de interação socioeducativa na perspetiva da inclusão: a sala de aula e ‘o resto’ – exercício exploratório [trabalho com os formandos, orientado pela abordagem prévia dos pontos 2.1., 2.2. e 2.3.] 3. Conhecer, partilhar, decidir 3.1. Conhecer e cooperar com as pessoas e as instituições 3.2. Conhecer, estimular e proteger as crianças e jovens: princípios, métodos, instrumentos 3.3. Conhecer para transformar: dos instrumentos de suporte à monitorização às modalidades de participação de professores, pais e alunos nos processos de decisão – exercício exploratório [trabalho com os formandos, orientado pela abordagem prévia dos pontos 3.1. e 3.2.] 4. Avaliação Apresentação e discussão dos trabalhos/produtos finais dos formandos

Metodologias

Exploração dos temas propostos, com adequado suporte teórico. Reflexão, análise e discussão em grupo, com recurso a fontes documentais pertinentes. Debate em plenário. Elaboração individual de trabalho/produto final da ação, em função dos interesses dos formandos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

Cerna, L. et al. (2021) Promoting inclusive education for diverse societies: A conceptual framework. Disponível em: Promoting inclusive education for diverse societies : A conceptual framework | OECD Education Working Papers | OECD iLibrary (oecd-ilibrary.org)Eurydice (2020). A equidade na educação escolar na Europa (trad. Lisboa: DGEEC/Unidade portuguesa de Eurydice). Disponível em: https://op.europa.eu/en/publication-detail/-/publication/517ee2ef-4404-11eb-b59f-01aa75ed71a1/language-ptEuropean Agency for Special Needs and Inclusive Education (2021). Inclusive School Leadership: A Tool for Self-Reflection on Policy and Practice. (M. Turner-Cmuchal, E. Óskarsdóttir and M. Bilgeri, eds.). Odense, Denmark. Disponível em: https://www.european-agency.org/sites/default/files/SISL_Self-Reflection_Tool.pdfPereira, F. (Coord.). (2018). Para uma Educação Inclusiva. Manual de Apoio à Prática. Lisboa. Ministério da Educação. Direção-Geral da Educação. Disponível em: https://dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdfUNESCO (2022). Reaching out to all learners: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO, IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education

Anexo(s)

AN


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 07-10-2023 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Presencial
2 07-10-2023 (Sábado) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial
3 11-10-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
4 18-10-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
5 25-10-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
6 02-11-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
7 04-11-2023 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Presencial
8 04-11-2023 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial


160

Ref. 124C5T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-117639/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 28-09-2023

Fim: 16-11-2023

Regime: b-learning

Local: Moimenta da Beira

Formador

Carla Sandra Coelho Azevedo

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Douro e Távora

Enquadramento

A avaliação pedagógica tem assumido uma centralidade inegável nas políticas educativas e curriculares, com efeitos concretos nas práticas de ensino e aprendizagem, designadamente na promoção do “sucesso escolar”. A publicação do Decreto-Lei nº 55/2018, de 6 de julho, consagra mudanças significativas ao nível do currículo, assumindo um dos seus princípios orientadores: a “afirmação da avaliação das aprendizagens como parte integrante da gestão do currículo enquanto instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens”. Refere ainda o caráter formativo da avaliação pedagógica como um dos pilares da melhoria da qualidade do ensino e da aprendizagem. Importa, pois, que os professores consolidem estas mudanças de modo contextualizado e que aprofundem competências e conhecimentos inerentes ao processo de avaliação das aprendizagens, nomeadamente, através de desenvolvimento de projetos pedagógicos e didáticos em torno de práticas de avaliação formativa, feedback e participação, critérios de avaliação e processos de recolha de informação. Deste modo, visa-se capacitar e apoiar os docentes para a construção dos recursos inovadores necessários e ajustados aos seus contextos educativos específicos, promovendo-se ainda a implementação e análise dos mesmos, tendo em vista o seu aperfeiçoamento ou reformulação.

Objetivos

• Contribuir para o desenvolvimento de competências e conhecimentos no domínio da avaliação, em geral, e da avaliação pedagógica, em particular, congruentes com o real conteúdo das orientações constantes nos documentos legais; • Promover práticas de trabalho colaborativo e cooperativo na construção e desenvolvimento de projetos de avaliação pedagógica em contexto de sala de aula; • Elaborar recursos educativos de suporte ao desenvolvimento dos projetos de avaliação pedagógica; • Permitir a troca de materiais e experiências, o esclarecimento de dúvidas e a geração de ideias e projetos de natureza pedagógica e didática; • Incrementar práticas de formação de natureza investigativa que confiram competências aos professores para lidar com a mudança e a inovação no âmbito da avaliação pedagógica.

Conteúdos

1. Enquadramento curricular: documentos de referência – 3 horas; 2. Natureza e Fundamentos da Avaliação - 3 horas; 3. Avaliação formativa e avaliação sumativa - 3 horas; 4. Feedback: natureza, distribuição e utilização por alunos e professores-alunos - 3 horas; 5. Aprendizagens Essenciais, Critérios de avaliação, Descritores de Níveis de Desempenho e de Standards. - 3 horas; 6. Processos de recolha de informação - 3 horas; 7. Apresentação, discussão e avaliação dos projetos de intervenção desenvolvidos no âmbito da oficina - 7 horas.

Avaliação

De acordo com o RJFCP – Decreto-Lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro - e nos termos dos nºs 5 e 6, do artigo 4.º do Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio, valorizando-se uma lógica formativa e de acompanhamento. Assim, a avaliação dos formandos terá incidência: (1) Na participação e no trabalho contínuo realizado ao longo das sessões presenciais; (2) Na componente de trabalho individual, tendo em conta a qualidade dos projetos e materiais produzidos e apresentados em plenário.

Bibliografia

Fernandes, D. (2021). Para uma fundamentação e melhoria das práticas de avaliação pedagógica no âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Fernandes, D. (2021). Para a Conceção e Elaboração do Projeto de Intervenção no Âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Fernandes, D. (2021). Para um enquadramento da formação de professores. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Machado, E. A. (2021). Feedback. Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Wenger, E. (1998). Communities of practice: Learning, meaning, and identity. Cambridge University Press.

Anexo(s)

AN


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-09-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Presencial
2 04-10-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 12-10-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 19-10-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
5 26-10-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
6 02-11-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
7 09-11-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
8 16-11-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial


158

Ref. 127C3T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115627/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 28-09-2023

Fim: 23-11-2023

Regime: e-learning

Local: Moimenta da Beira

Formador

Maria de Lurdes Ribeiro Dias Martins

Sónia Margarida Pinheiro de Barros Pereira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas práticas inclusivas em sala de aula, bem como novas metodologias que promovam as aprendizagens de todos os alunos. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha desbravem o caminho e orientem todos os agentes educativos para as mudanças a realizar. Esta ação de formação procura contribuir para uma reflexão crítica sobre os desafios da diversidade, bem como apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas ajustadas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas Consolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem) Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar–Planear–Agir– Rever para a inclusão Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre: o os valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação; o a gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo; o o recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos; o a valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens; o a voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação. Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos. • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem). Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula • Gestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos – partilha de práticas. • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem • Caráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens. • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino. • O feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Metodologias

Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Será privilegiado o trabalho em pequeno e grande grupo com momentos de reflexão e de discussão restrita e alargada. Nas sessões, devem ser definidos tempos de partilha e de reflexão em torno das experiências e das práticas dos formandos, devendo o formador ter um papel ativo na ligação das práticas às políticas educativas de inclusão. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor. Elaboração de trabalho/reflexão final individual em função dos interesses e preferências dos formandos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N., Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora, 2021.European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education.

Anexo(s)

AN


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-09-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 12-10-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 19-10-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 26-10-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 08-11-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 09-11-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 16-11-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 23-11-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


159

Ref. 129C6T1 Concluída

Registo de acreditação: CFAEDT-ACD 2023/01

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 07-09-2023

Fim: 07-09-2023

Regime: Presencial

Local: Moimenta da Beira

Formador

Eusébio André da Costa Machado

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Enquadramento

O projeto MAIA apresenta como um dos principais eixos de sua ação a formação de professores em articulação direta com os CFAE. Neste âmbito, tendo por base as Oficinas de Formação ou os Círculos de Estudos, importa dar amplitude aos trabalhos e projetos desenvolvidos pelos formandos para além da turma de formação. Neste sentido, esta ACD tem por principal finalidade a partilha dos resultados das ações de formação, encarados na perspetiva de práticas que visam a melhoria das aprendizagens e que ganham com uma discussão aberta e partilhada entre a comunidade mais ampla das escolas associadas ao CFAE.

Objetivos

- Partilhar as experiências formativas no âmbito do Projeto MAIA, designadamente os Projetos de Intervenção elaborados no âmbito das Oficina de Formação; - Fomentar as práticas colaborativas e a dinamização de comunidades de prática; - Incentivar o desenvolvimento de práticas que contribuam para a melhoria das aprendizagens dos alunos.

Conteúdos

A ACD deve ser constituída pela apresentação, discussão e avaliação, entre pares, dos produtos e resultados das atividades de formação no âmbito do Projeto MAIA, designadamente nas Oficinas e Círculos de Estudos. Sendo organizada ao nível de cada CFAE, importa que a partilha seja o mais ampla possível, integrando todas as escolas associadas.

Metodologias

ACD pode seguir as mais diversas metodologias, quer de modo presencial, quer a distância: seminário, encontro, jornadas, etc. Importa que haja possibilidade de feedback aos trabalhos realizados/apresentados. Os formadores deverão assumir o estatuto de amigos críticos, contribuindo para a melhoria e revisão dos trabalhos que forem apresentados.

Anexo(s)

ACD 2


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 07-09-2023 (Quinta-feira) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial


161

Ref. 130C7T1 Concluída

Registo de acreditação: CFAEDT-ACD 2023/02

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 07-09-2023

Fim: 07-09-2023

Regime: Presencial

Local: Penedono

Formador

Dina Maria de Oliveira Soares

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Agrupamento de Escolas Álvaro Coutinho, O Magriço

Enquadramento

A valorização da componente local do currículo assume um papel determinante na gestão curricular e na promoção de projetos interdisciplinares e transdisciplinares. Neste contexto, junto da comunidade escolar, dar a conhecer o património local da vila de Penedono, os seus arredores, onde se inclui os trilhos dos sefarditas em Penedono, constitui a base de trabalho para esta ação de curta duração dirigida a professores de diferentes ciclos de ensino e grupos disciplinares. Esta ação terá duas etapas: A primeira etapa integra uma visita de estudo ao coração da Vila de Penedono onde se ergue o seu castelo, erguido muito antes do nascimento de Portugal; a riqueza patrimonial de Penedono leva- nos a conhecer parte do vasto património religioso e civil, nomeadamente a Igreja Matriz de S. Pedro; Capelas: S. Salvador; Sta. Bárbara; Sta. Luzia ou o Dólmen/Capela da Sra. do Monte (Penela da Beira); faremos ainda uma visita ao Centro de Artesanato da Beselga, onde se trabalha a junça e ao Centro de Interpretação de Penedono. Na segunda parte, criar-se-á um espaço de reflexão que propicie a capacitação dos docentes, para o desenvolvimento de Domínios de Autonomia Curricular (DAC), no âmbito da temática supra exposta, através do poder educativo das artes e dos patrimónios. Assim, pretende-se desenvolver um planeamento curricular que facilite a integração de saberes e promova aprendizagens significativas, para todos os alunos, desenvolvendo nestes a autonomia, o espírito crítico, a criatividade, adotando práticas pedagógicas capazes de promover uma maior implicação dos alunos nas aprendizagens a realizar, como sendo a metodologia de projeto, o trabalho prático e experimental; atividades cooperativas de aprendizagem. Este planeamento possibilitará diferentes abordagens a temas que possam ser explorados, articuladamente, entre várias disciplinas, criando espaços de liberdade para a construção pessoal e coletiva: lugares e tempos de questionamento e abertura, mobilizando saberes em ação e o desenvolvimento das competências no âmbito do Perfil do Aluno à saída da escolaridade obrigatória.

Objetivos

I - Conhecer o património cultural de Penedono; II- Refletir sobre a importância da implementação de Domínios de Autonomia Curricular (DAC) no contexto da legislação em vigor; III - Operacionalizar /planificar DAC, em equipas multidisciplinares, recorrendo às áreas artísticas e aos patrimónios como suporte de aprendizagens; IV - Partilhar boas práticas de trabalhos em DAC.

Conteúdos

- Conhecimento dos diferentes espaços visitados; - A importância da implementação de Domínios de Autonomia Curricular (DAC) no contexto da legislação em vigor; - Princípios para a planificação e concretização de DAC; - O poder educativo das artes e dos patrimónios como facilitador dos trabalhos em DAC; - Metodologias ativas e aprendizagem cooperativa no trabalho a desenvolver


Observações

Docentes de todos os grupos de recrutamento do Agrupamento de Escolas Álvaro Coutinho, O Magriço

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 07-09-2023 (Quinta-feira) 10:00 - 11:00 1:00 Presencial
2 07-09-2023 (Quinta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 126C2T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116375/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 19-01-2023

Fim: 31-05-2023

Regime: b-learning

Local: Moimenta da Beira

Formador

Cláudia Costa de Albuquerque Pinto

Destinatários

Professores do grupo de recrutamento 500

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, em agosto de 2021 foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Básico (Despacho n.º 8209/2021, de 19 de agosto) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2022/2023, no que respeita aos 1.º, 3.º, 5.º e 7.º anos de escolaridade; b) 2023/2024, no que respeita aos 2.º, 4.º, 6.º e 8.º anos de escolaridade; c) 2024/2025, no que respeita ao 9.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 500, para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática do Ensino Básico procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Básico (AE, 2021), destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem: • Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Básico, o seu racional e as consequências para o ensino da Matemática; • Estar dotados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Básico; • Realizar experiências de ensino de Matemática que contemplem a planificação de aulas, a sua concretização e consequente reflexão, em contextos de trabalho colaborativo, tornando-se sensíveis e capazes de resolução para os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o 3.º ciclo do Ensino Básico.

Conteúdos

Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Básico expressas nas novas AE 2021 (2 sessões de 2,5h cada): - Caracterização das novas AE de Matemática - Articulação entre os temas nas novas AE de Matemática - Reflexos dos princípios nas opções curriculares das novas AE de Matemática Serão propostas tarefas que permitirão trabalhar as novas AE segundo diversos ângulos. Articulação entre diferentes temas matemáticos e capacidades matemáticas transversais, incorporando as capacidades e atitudes gerais transversais (5 sessões de 2,5h cada): - Conteúdos de aprendizagem (conhecimentos, capacidades matemáticas, capacidades e atitudes gerais) que uma dada tarefa preferencialmente pode promover - Análise de produções de alunos - Feedback oral e escrito a fornecer pelo professor - Recursos, em particular tecnológicos, e suas potencialidades Serão propostas tarefas de formação constituídas por tarefas a propor aos alunos, e um conjunto de questões que incidem sobre o ensino da Matemática, a partir das características da tarefa dos alunos, de produções de alunos, de episódios de sala de aula, de notas de campo de aulas realizadas no âmbito da operacionalização destas novas AE. Práticas de ensino promotoras do desenvolvimento integrado de temas matemáticos, capacidades matemáticas transversais e capacidades e atitudes gerais transversais (3 sessões de 2,5h cada): - Planificação (objetivos de aprendizagem, tarefas, formas de as explorar e recursos, em particular ferramentas tecnológicas) - Operacionalização (dinâmica da aula; papel do professor e dos alunos, discussão em grande grupo) - Reflexão (aprendizagens realizadas, dificuldades reveladas pelos alunos e ações do professor, identificação de aspetos a melhorar, causas e aperfeiçoamentos para futuro). A primeira sessão será dedicada ao início da planificação da aula a lecionar, e as duas restantes decorrerão após o término do trabalho autónomo e destinar-se-ão à apresentação e reflexão da intervenção na prática letiva. Para o trabalho autónomo propor-se-á a leitura de textos que sustentem teoricamente algumas ideias chave das orientações curriculares consideradas nos documentos curriculares, assim como a leitura de textos de apoio sobre os temas trabalhados. Prevê-se ainda que o trabalho autónomo incida na conclusão da planificação, na realização da aula e na preparação da apresentação aos restantes formandos desta intervenção na prática letiva.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões presenciais e nas sessões síncronas, a planificação de tarefas para os alunos e análise da sua realização na sala de aula, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Bibliografia

Educação e Matemática, 158Educação e Matemática, 162NCTM (2017). Princípios para a ação. Lisboa: APM.Ponte, J. P., Quaresma, M., & Mata Pereira, J. (2020). Como desenvolver o raciocínio matemático na sala de aula? Educação e Matemática, 156, 7-11.Veloso, E. (2012). Simetria e transformações geométricas. Lisboa: APM

Anexo(s)

AN


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 19-01-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
2 02-02-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
3 16-02-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
4 01-03-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
5 16-03-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
6 29-03-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
7 20-04-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
8 04-05-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
9 25-05-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
10 31-05-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona


156

Ref. 125C1T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116370/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 18-01-2023

Fim: 31-05-2023

Regime: b-learning

Local: Moimenta da Beira

Formador

Maria Paula Montenegro Vieira Cardoso

Destinatários

Professores do grupo de recrutamento 230

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 230. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 230.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, em agosto de 2021 foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Básico (Despacho n.º 8209/2021, de 19 de agosto) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2022/2023, no que respeita aos 1.º, 3.º, 5.º e 7.º anos de escolaridade; b) 2023/2024, no que respeita aos 2.º, 4.º, 6.º e 8.º anos de escolaridade; c) 2024/2025, no que respeita ao 9.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 230 para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática do Ensino Básico procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Básico, destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem ser capazes de: • Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Básico, o seu racional e as consequências para o ensino da Matemática; • Estar capacitados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Básico; • Realizar experiências de ensino de Matemática que contemplem a planificação de aulas, a sua concretização e consequente reflexão, em contextos de trabalho colaborativo, tornando-se sensíveis e alertados para os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o 2.º ciclo do Ensino Básico.

Conteúdos

Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Básico expressas nas novas AE 2021 (2 sessões de 2,5h cada): - Caracterização das novas AE de Matemática - Articulação entre os temas nas novas AE de Matemática - Reflexos dos princípios nas opções curriculares das novas AE de Matemática Serão propostas tarefas que permitirão trabalhar as novas AE segundo diversos ângulos. Articulação entre diferentes temas matemáticos e capacidades matemáticas transversais, incorporando as capacidades e atitudes gerais transversais (5 sessões de 2,5h cada): - Conteúdos de aprendizagem (conhecimentos, capacidades matemáticas, capacidades e atitudes gerais) que uma dada tarefa preferencialmente pode promover - Análise de produções de alunos - Feedback oral e escrito a fornecer pelo professor - Recursos, em particular tecnológicos, e suas potencialidades Serão propostas tarefas de formação constituídas por tarefas a propor aos alunos, e um conjunto de questões que incidem sobre o ensino da Matemática, a partir das características da tarefa dos alunos, de produções de alunos, de episódios de sala de aula, de notas de campo de aulas realizadas no âmbito da operacionalização destas novas AE. Práticas de ensino promotoras do desenvolvimento integrado de temas matemáticos, capacidades matemáticas transversais e capacidades e atitudes gerais transversais (3 sessões de 2,5h cada): - Planificação (objetivos de aprendizagem, tarefas, formas de as explorar e recursos, em particular ferramentas tecnológicas) - Operacionalização (dinâmica da aula; papel do professor e dos alunos, discussão em grande grupo) - Reflexão (aprendizagens realizadas, dificuldades reveladas pelos alunos e ações do professor, identificação de aspetos a melhorar, causas e aperfeiçoamentos para futuro). A primeira sessão será dedicada ao início da planificação da aula a lecionar, e as duas restantes decorrerão após o término do trabalho autónomo e destinar-se-ão à apresentação e reflexão da intervenção na prática letiva. Para o trabalho autónomo propor-se-á a leitura de textos que sustentem teoricamente algumas ideias chave das orientações curriculares consideradas nos documentos curriculares, assim como a leitura de textos de apoio sobre os temas trabalhados. Prevê-se ainda que o trabalho autónomo incida na conclusão da planificação, na realização da aula e na preparação da apresentação aos restantes formandos desta intervenção na prática letiva.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões presenciais e nas sessões síncronas, a planificação de tarefas para os alunos e análise da sua realização na sala de aula, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Bibliografia

Educação e Matemática, 158Educação e Matemática, 162NCTM (2017). Princípios para a ação. Lisboa: APM.Ponte, J. P., Quaresma, M., & Mata Pereira, J. (2020). Como desenvolver o raciocínio matemático na sala de aula? Educação e Matemática, 156, 7-11.Veloso, E. (2012). Simetria e transformações geométricas. Lisboa: APM.

Anexo(s)

AN


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-01-2023 (Quarta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
2 01-02-2023 (Quarta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
3 15-02-2023 (Quarta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
4 01-03-2023 (Quarta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
5 15-03-2023 (Quarta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
6 29-03-2023 (Quarta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
7 19-04-2023 (Quarta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
8 03-05-2023 (Quarta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
9 24-05-2023 (Quarta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
10 31-05-2023 (Quarta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial


157
Consultar arquivo de oferta formativa