Desenvolvimento de competências sociais e emocionais no âmbito da Educação Pré-escolar turma T1

Apresentação

1- Esta formação está organizada de forma a dar respostas integradas de acordo com as Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar: Formação Pessoal e Social, Expressão/Comunicação e Conhecimento do Mundo. 2-A investigação refere que a vida emocional da criança é o trampolim de integração no mundo, visto que a sua evolução emocional é muito mais precoce do que a sua maturação mental, a educação das emoções deverá integrar os currículos destinados a estes destinatários. 3-A criança, na Educ. Pré-Escolar, é o sujeito da aprendizagem, tendo em conta o seu saber, as suas vivências, a sua cultura, de modo que a ação do educador seja complementar à ação educativa das famílias, através do estabelecimento de uma relação estreita com os pais/encarregados da educação, numa abordagem sistémica e ecológica. 4-Os educadores deverão criar um ambiente propício ao desenvolvimento de competências sociais e emocionais como uma forma de prevenção para uma conduta antissocial, tentando minimizar a vulnerabilidade às disfunções. Estas competências, incluem a autoconsciência, o controlo dos impulsos, a empatia, a escolha de perspetiva, a cooperação, a resolução de conflitos, tornando-se ferramentas-chave quando a criança, mais tarde, for confrontada com situações geradoras de comportamentos de risco. 5-O uso de histórias em contexto escolar é um dos instrumentos pedagógicos privilegiados para promover o desenvolvimento socio cognitivo das crianças, favorecendo a linguagem mental e a compreensão da criança, sobre si e o mundo que a rodeia. Haverá um envolvimento das Bibliotecas Escolares, dado que é fundamental a articulação curricular, a transversalidade dos saberes e os cenários de aprendizagem integrados e inclusivos.

Destinatários

Educadoras/es de Infância (Grupo 100)

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadoras/es de Infância (Grupo 100).

Objetivos

•. Desenvolver competências socio emocionais nas crianças; • Promover práticas educacionais positivas; • Envolver a comunidade educativa na promoção da literacia em saúde mental e emocional, numa perspetiva global, que potencie o desenvolvimento harmonioso do indivíduo. Reforçar fatores protetores: Pessoais – desenvolver a identidade, autonomia, autoestima/autoconceito, afetos, emoções, sentimentos, relações interpessoais, comunicação; Ambiente escolar - promover a participação, a cooperação, a solidariedade, a aprendizagem, a responsabilidade e a assertividade; Sociais/comunitários – criar condições para um maior envolvimento da comunidade e dos parceiros.

Conteúdos

Contextualização – Objetivos 3:00h Enquadramento Teórico: 4:00h - Comunicação - Emoções Básicas Exploração das histórias: 8:00h - “Uma dor de barriga” - “Adeus patitas” - “Um incêndio nas orelhas” - “O Marronco” - “Batucar”

Avaliação

Os/As formandos/as serão avaliados na escala de 1 a 10, de acordo com o despacho no 4595/2015, do Secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar. A avaliação dos/as formandos/as depende da frequência mínima de 2/3 das horas de formação presencial. Critérios de avaliação: - Empenho e participação nas sessões (25%) - Trabalhos produzidos e participação nas sessões (25%) - Reflexão crítica individual sobre a formação vivenciada e as aprendizagens obtidas/consolidadas em cada módulo da formação (50%)

Bibliografia

Almeida, Leandro S., et al (1995). Provas psicológicas em Portugal. APPORT, Braga Bitti, Pio Ricci (1993). A Comunicação como processo social. Editorial EstampaCosta, Marta Lacerda (2015). A importância das histórias infantis na educação pré-escolar e no desenvolvimento emocional e social em crianças. Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica, Instituto Superior Miguel Torga, Coimbra.Gaspar, Maria Filomena (in press/2011). Educação parental e prevenção do risco na infância: resposta milagre ou desafio incitador? In A. Almeida et al (Eds) Intervenção com crianças, jovens e famílias: Estudos e práticas. Almedina, CoimbraMinistério da Educação. (1997). Lei Quadro da Educação Pré-Escolar. Lei nº 5/97. Lisboa: Diário da República 34/97 - SÉRIE I-A.Ministério da Educação. (1997). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Plano Nacional de Saúde Escolar (PNSE)

Formador

Agostinha Barroco Dionisio

Início: 28-02-2024
Fim: 20-03-2024
Acreditação: CCPFC/ACC-122892/24
Modalidade: Oficina
Pessoal: Docente
Regime: Presencial
Duração: 30 h
Local: AE Tenente Coronel Adão Carrapatoso-V. N. de Foz Côa